Atividades da BESM no ano letivo 2014/2015

 

1.º Encontro dos Liceus de Portugal | 29 maio 2015 | Escola Secundária Sá de Miranda

Com 178 anos de existência a Escola Secundária Sá de Miranda congrega muita da história e das vivências dos Liceus portugueses.

Para se refletir e divulgar sobre toda a riqueza emocional, institucional, pedagógica e material dos Liceus, o Agrupamento de Escolas Sá de Miranda promoveu nos dias 29 e 30 de maio o 1.º Encontro dos Liceus de Portugal.

Iniciou a sessão a Diretora do Agrupamento, Dr.ª Antonieta Silva, com uma comunicação centrada na história do Liceu. Seguiram-se as intervenções do Presidente da Câmara Municipal de Braga, Dr. Ricardo Rio, do Vice-Reitor da Universidade do Minho, Dr. Rui Vieira de Castro e da Diretora da Escola Secundária Rodrigues de Freitas do Porto, Dr.ª Maria José Ascensão.

Coube ao Dr. José Marques Fernandes a Lição Inaugural “De Atenas ao Liceu Sá de Miranda”. Seguidamente o Dr. Rodrigo Azevedo abordou o tema “Os Liceus no tempo da Monarquia Constitucional e 1.ª República”. Depois, a Dr.ª Adília Fernandes apresentou o tema “O Lugar do Feminino nos Liceus”. 

Durante a tarde, o Dr. Luís Grosso Correia dissertou sobre o tema “Os Liceus no Estado Novo”. Seguiu-se a Dr.ª Áurea Adão com duas intervenções: “Uma inspeção permanente do Ensino Secundário no Portugal de Oitocentos. As visitas ao Liceu de Braga” e “Questões de Política Educativa”. Para finalizar, o Dr. Rodrigo Azevedo apresentou “Estórias do Liceu Nacional de Braga”, contando com a participação de antigos alunos.

A noite foi abrilhantada por um concerto dos “Primo Convexo”.

No sábado, dia 30, o Encontro prosseguiu com um Percurso Literário que teve inicío na Biblioteca Antiga do Liceu, atravessando a Cidade, passando por locais que foram, e são, referência de autores relacionados com o Liceu e a Cidade.

ATIVIDADES DA BIBLIOTECA 2014/2015

 

Exposição " Mapas e Materiais de Geografia"

Inaugurada dia 13 de novembro
 
            

Guião do que poderá ver na nossa Exposição, patente até dia 22 de dezembro

A Escola Sá de Miranda é uma instituição de ensino público, com cerca de 1100 alunos do 3.º ciclo do ensino básico e do ensino secundário.

Herdeira do secular Liceu de Braga, foi criado por Passos Manuel, em 1836, por decreto de 17 de Novembro que, no âmbito da Reforma da Instrução Pública preconizada pela política setembrista, criou um Liceu Nacional em cada capital de distrito, na metrópole, mais quatro nas ilhas adjacentes.

Até 1921, o Liceu esteve instalado no antigo Convento dos Congregados do Oratório, onde estava, também, instalada a Biblioteca Pública. Nesse ano de 1921 o Liceu foi transferido para o edifício das antigas instalações do Colégio do Espírito Santo, onde se encontra até aos nossos dias.

 

A Escola possui um valioso espólio de mobiliário e material didático digno de registo, albergando, nos seus arquivos, a memória da sua evolução quase bicentenária. No contexto da requalificação do edifício da Escola Sá de Miranda, ocorrida entre 2008 e 2010 este património está a ser recuperado e estão criadas condições para a sua divulgação/exposição.

Assim sendo, numa visita à Escola Sá de Miranda poderão ter acesso ao seguinte espólio em exposição:

No Auditório – Mapas de geógrafos de reconhecido mérito como Heinrich Kiepert , Richard Kipert, Émile Levasseur e Gustave Léon Niox, J. Forest ligados a Universidades ou outras Instituições Científicas.

Destacamos os mapas parietais ou murais de autores alemães, franceses, ingleses: Kipert, Haardt, Straube, Forest, Levasseur, Niox, George Philip.

A Coleção de Mapas está disponibilizada online na página da Internet da Escola, podendo toda a coleção de mapas ser consultada e visualizada em https://sites.google.com/a/sa-miranda.net/mapas/prof-carlos-carvalho/processo

No Museu – Coleção científica, desde a fundação do Liceu até aos nossos dias, tratando-se de material oriundo dos Gabinetes de História Natural, de Físico-Química e de Geografia. O Museu da Escola Sá de Miranda alberga, assim, um importante espólio constituído pelos bens do Liceu de Braga e ainda por parte dos bens do antigo Colégio do Espírito Santo, fundado no ano de 1872.

Na Sala de Geografia – montagem da sala, retratando uma sala de aula dos meados do século XX – mapa em relevo de Portugal Continental e mapas das províncias ultramarinas de Portugal.

No antigo Convento dos Congregados, a maior sala e a mais digna, acabou por ser destinada à aula de Geografia, acontecendo o mesmo no edifício do Colégio do Espírito Santo. A Geografia instalou-se numa grande sala, com várias janelas, com óptima exposição solar e o espaço conveniente para albergar todo o seu material, permitindo aos alunos trabalhar com esses mapas e demais objetos da disciplina, sob a orientação do professor.

Na Biblioteca Antiga – acesso ao Espólio Bibliográfico, desde o século XVI até meados do século XX.

Auditório – Mapas

1.      KIEPERT, Richard, 1846 – 1915, Afrika: physikalishe wandkarten V/ von R. Kiepert. – fünfte aufl.  – Escala 1: 8 000 000. - Berlin: Dietrich Reimer: Ernst Vohsen, [s.d.] . – 1 mapa : color. ; 122x113 cm. Contém um mapa Politische uebersicht von Afrika na escala 1: 30 000 000.

2.     KIEPERT, Richard, 1846 – 1915, Afrika: politische / von R. Kiepert. – fünfte aufl. – Escala 1: 8 000 000. – Berlin: Dietrich Reimer: Ernest Vohsen, [s.d.] (S.l: Lith Anst. V. D. Reimer) . - 1 mapa : color . ; 120x114 cm

3.     FOREST, J, Mapa de África

4.     FOREST, J. Africa política / par J. Forest. – Escala 1: 10 000 000. – Girard, BarrèreEditores, [s.d.]. – 1 mapa: color . ; 115x92 cm

5.     FOREST, J., America do Norte / par J. Forest. – Escala 1: 10 000 000. - Paris:Girard, Barrère et Thomas, Editores [s.d.] . – 1 mapa : color . ; 90x120 cm .No canto inferior esquerdo contém América Central à Escala 1: 5 000 000 . – Incluí um mapa com o título “América do Norte no Globo”.

6.     KIEPERT, Richard, 1846 – 1915, Östlisher planiglob: politische wandkarten/ von R. Kiepert. – Escala [ca. 1:12 000 000]. - Berlin: Dietrich Reimer: Hoefer und vohsen, [s.d.].- 1 mapa : color. ; 107 cm de diâm. Escala calculada com o valor médio calculado 0,92 para o grau de meridiano.

7.     KIEPERT, Richard, 1846 – 1915,Westlisher Planiglob: politische wandkarten/ von R. Kiepert .  – Escala [ca. 1:12 000 000 ] . - Berlin: verlag von Dietrich Reimer: Hoefer und Vohsen, [s.d.] (S.l: Anst. v. Leop. Kraatz) .- 1 mapa: color.; 107 cm de diâm. Escala calculada com o valor médio calculado 0,92 para o grau de meridiano.

8.     KIEPERT, Richard, 1846 – 1915, Europa: politische / von R. Kiepert. - 2ª aufl. – Escala 1: 4 000 000. – Berlim: Dietrich Reimer, 1889  (Berlin: Anst. V. Leop. Kraatz) . – 1 mapa : color. ; 120x150 cm

9.     LEVASSEUR, Émile, 1828-1911, Mapa da República dos Estados Unidos do Brasil / por E. Levasseur; grav. por A. Martin e P. Gourdon. – Escala 1: 3 000 000. – Paris: C. H. Delagrave, 1904. - 1 mapa : color. ; 196x193 cm. Contém 5 mapas insertos:Carta Hipsometrica da América do Sul (sem escala); Carta do Estado do Rio de Janeiro (Escala:1:1000 000); Planta da Cidade do Rio de Janeiro (Escala: 1:50 000) e Ilha da Trindade (Escala: 1:3 000 000). I – MARTIN, A., grav. II – GOURDON, P., grav.

10. KIEPERT, Richard, 1846 – 1915, Asien: politische schul – wandkarte  / zeichnung von R. Kiepert - fünfte berichtigte aufl. -  Escala 1: 8 000 000. – Berlin: Geographische verlagshandlung Dietrich Reimer: Ernst Vohsen (S.l: Lith. Anst v. D. Reimer ). – 1 mapa : color. ; 133x167cm. Contém inserto um mapa: Russisches Reich.

11.   KIEPERT, Richard, 1846 – 1915, Westlisher planiglob: physikalishe wandkarten I / von R. Kiepert .  – Escala [ca. 1:12 000 000]. - Berlin: Dietrich Reimer: Hoefer und Vohsen, [s.d.] (S.l.: Anst. V Leop. Kraatz). - 1 mapa : color . ; 10 cm de diâm. Escala calculada com o valor médio calculado 0,92 para o grau de meridiano.

12.  KIEPERT, Richard, 1846 – 1915, Östlisher planiglob: physikalishe wandkarten II / von R. Kiepert. – Escala [ca. 1:12 000 000]. - Berlin: Dietrich Reimer: Hoefer und Vohsen, [s.d.] (S.l.: Anst. v. Leop. Kraatz). - 1 mapa : color . ; 107 cm de diâm. Escala calculada com o valor médio calculado 0,92 para o grau de meridiano.

  1. SOARES, João [Professor] – Mapa da Austrália e Nova Zelândia, Mapa político, Livraria Sá da Costa [Lisboa (Portugal)] [Casa editora]

14. Europa Física – Tecnodidática

15.  SPRUNER, K. von  [Historiador cartógrafo]
e Bretschnneider, C. A., Europa - Zur Zeit der Reformation, Justus Perthes Geographische Anstalt Gotha [Gotha, Alemanha] [Casa editora]

16. SOARES, João, Europa durante e depois da Grande Guerra

Museu

17.  África Ocidental Portugueza, Esboço Chorographico da Província d´Angola – Bihé e México

18. Carta da Ilha de Maio(Cabo Verde), Comissão de Cartografia

  1. Mapa do Mundo – Os Países – Porto Editora

20.                       ESLEM, or the Countries conquered BY MAHOMET

21.  FOREST, J., Oceania/ par J. Forest. – Escala 1:10 000 000. - Pariz: Les fils d’Emile Deyrolle, [s.d.]. –  1 mapa : color . ; 88 x120 cm, Editado por Les fils d’Emile Deyrolle, na Rue du Buci, 19

22. GIRÃO, Aristides de Amorim, Portugal, Divisão da Propriedade Rústica – 1950

23. KIEPERT, Richard, 1846 – 1915, Australien und Polynesien politische / von R. Kiepert .  – Escala 1: 12 000 000 . - Berlin: Dietrich Reimer, 1886 (Berlin: Anst. V Leop. Kraatz). - 1 mapa : color . ; 116x196 cm        

24.TEIXEIRA, Carlos, Mapa da região de Braga – Carta Geológica de Portugal - Braga, escala 1:50000, Direcção Geral de Minas e Serviços. Geológicos, 1973, colorida. Na margem inferior esquerda: Gravada e impressa no Inst. Geográfico e Cadastral. Na margem inferior outras informações incluindo fontes históricas monumentais. Na margem direita, identificação de períodos geológicos e de rochas. Na mesma capa de plástico original, contém Notícia Explicativa da folha 5-D por C. Teixeira , Prof. da Universidade de Lisboa, colaborador dos Serviços. Geológicos de Portugal e A. Cândido de Medeiros, Geólogo da Direcção Geral de Minas e S. G., Estudos Petrográficos de João Rocha de Macedo, Assist. da Universidade de Lisboa, Investigador da J.I.U.,LX,1973. Levantamentos geológicos do Prof. C. Teixeira, do Geológo A. Cândido de Medeiros

25. Carta Geológica de Portugal – Mapa de Portugal Continental, Serviços Geológicos de Portugal

26.PERTHES, Justus [Editor], Os Países da Europa - Cientécnica [Porto, Portugal] [Casa distribuidora]
- Hermann Haack Geographisch-Kartographische Anstalt Gotha [Darmstad, Alemanha] [Casa editora]
- Tecnodidáctica - Equipamentos Técnicos e Científicos, Ltda. [Lisboa, Portugal] [Casa distribuidora]

27. PERTHES, Justus, Mapa da Ásia - Justus Perthes Geographische Anstalt Gotha [Alemanha] [Casa editora]
- Tecnodidáctica - Equipamentos Técnicos e Científicos, Ltda. [Lisboa, Portugal] [Casa distribuidora]

28.PERTHES, Justus, América do Norte- Tecnodidáctica - Equipamentos Técnicos e Científicos, Ltda. [Lisboa] [Casa distribuidora]

29.PERTHES, Justus, Os Países da Ámerica do Norte - Tecnodidáctica - Equipamentos Técnicos e Científicos, Ltda. [Lisboa] [Casa distribuidora]

30.                       PHILIP, George & Son, Picture Map of the world, London &Liverpool

31.  Noções elementares de geographia: Geologia, atmosphero-meteorologica, physica e politica, Botelho, Manuel Francisco de Medeiros Editor e Edição: 2ª edição Coimbra : Imprensa da Universidade , 1867

  1. Leçons de Géographie Physique, Lapparent, Albert de ,3ª Edição, Paris : Edição Masson et Cie , 1907
  2. La terre: ses aspects, sa structure, son evolution, Robin, Aug. Paris : Librairie Larousse , [19--]  
  3. Géographie Générale: Première Partie, Autoria desconhecida [s. n.]: [s. i.], [s. d.]
  4. CartografiaHoepli, Manuali Milão : Editore Libraio Della Real Casa , 1894
  5. Curso de Geographia Phýsica e PolíticaAlmeida, Fortunato de: 3ª ed : Coimbra : Imprensa académica , 1913  
  6. Compêndio de geografia moderna e universal, Coutinho, Luis Gonçalves, ?-1851 , Lisboa : Impr. Nacional , 1840
  7. Guia de Portugal: Entre Douro e Minho, Douro Litoral. Vol. 4: Fundação Calouste Gulbenkian , 2ª ed, 1986
  8. Le Globe Terrestre la Nature des Mouvements de L'Écorce Terrestre, Lapparent, A. de Editor e Edição: 5ª ed Paris : Librairie Bloud & Cº , 1904
    Colecção: Science et religion
  9. Leçons de Cosmographie: éléments d`astronomie conformes aux programmes de l`enseignement scientifique dans les lycées, Briot, Charles , 8ª ed. Paris : Librairie Ch. Delagrave , 1889
  10. Geografia de Portugal: Edição Ilustrada, Girão, A. de Amorim Porto : Porto Editora, 1941
  11. Éléments de Cosmographie, J., F. , Paris : AM , 1920
  12. Compêndio de geografia elementar: II parte - 4ª classe,Vasconcelos, Mário de , Porto : Lelo & Irmão , 1921 
  13. Compendio de chorographia portugueza e história de geographia: para a 7ª classeMano, Ildefonso Marques , Porto : Magalhães & Figueiredo, 1909 
  14. Compendio de Geographia: Para a VII classe dos lyceusMano, Ildefonso Marques , Porto: Magalhães & Figueiredo, 1907 
  15. Compêndio de geografia para a primeira classe do curso dos liceus, Lucci, Luís Filipe de Lencastre Schwalbach, 1888-1956 , 9ª ed. correcta e aument , Lisboa: Bertrand, 1928
  16. Australásia, áfrica e AméricasSá, Mário de Vasconcelos e, 1883-1971 , Porto: A "Renascença Portuguesa", 1923 . Caderno de geografia (Volume 1)
  17. Caderno de geografia: para a 1ª e 2ª classes, Sá, Mário de Vasconcelos e, 1883-1971 , Porto: A "Renascença Portuguesa , 1923 
  18. Terras árticas e antárticas, Ásia e Europa, Sá, Mário de Vasconcelos e, 1883-1971 , Porto: A "Renascença Portuguesa", 1923 . Caderno de geografia (Volume 2)
  19. Descobrimento da Terra, grandes potências mundiais, centros produtores e consumidoresSá, Mário de Vasconcelos e, 1883-1971 , Porto: A "Renascença Portuguesa" , 1923 . Cadernos de geografia (Volume 3)
  20. Geografia geralSá, Mário de Vasconcelos e, 1883-1971 , Porto: A "Renascença Portuguesa", 1923 . Caderno de geografia (Volume 4)
  21. Portugal e o movimento geographico moderno: relatorio lido na 1ª sessão solemne annual da Sociedade de Geographia de Lisboa, Cordeiro, Luciano, 1844-1900 Lisboa : Typ. do Jornal O Progresso , 1877  
  22. Estudio Sobre las Borrascas en la Costa Occidental de GaliciaMerino, P. Baltasar Tuy : Tipografia Gallega, 1893
  23. Os Continentes: compêndio de geografia para as III, IV e V classes dos liceus, Matoso, António G., 1896-1975 , 1ª ed , Lisboa : Sá da Costa , 1935  
  24. Compêndio de geografia: para a 1ª, 2ª e 3ª classes dos liceus, Mano, Ildefonso Marques : Porto: Magalhães & Figueiredo, 1909, Instrução Secundária Oficial
  25. Geografia física di arciboldo geikie, Hoepli, Manuali  3ª ed.
    Milão: Editore Libraio Della Real Casa, 1892  
  26. Ciências Geográfico-Naturais: 1º, 2º e 3º anos dos liceus,
    Mattoso, António G. , Co-autor: D'Ataíde, Álvaro , Lisboa: Livraria Sá da Costa, 1937 

Pereira Caldas (58 a 63)

  1. Le Systéme du monde et le ccalenderier, Rouché, Eugène , Paris : Librairie de L. Hachette et Cie , 1867 
  2. Diccionario geografico, ou noticia historica de todas as cidades, villas, lugares, e aldeas, rios, ribeiras, e serras dos Reynos de Portugal, e Algarve, com todas as cousas raras, que nelles se encontraõ, assim antigas, como modernas que escreve, e offerece ao muito alto, e muito poderoso Rey D. João V. nosso Senhor o P. Luiz Cardoso, da Congregação do Oratorio de Lisboa, Academico Real do Numero da Historia Portuguesa. Tomo I [Letra A]: [44], 754 p. - Assin.: [ ]//2, a-k//2, A-Z//4, Aa-Zz//4, Aaa-Zzz//4, Aaaa-Zzzz//4, Aaaaa-Bbbbb//4, Ccccc//2 [últ. br.].Tomo II [Letras B e C]: [38], 776 p. - Assin.: [ ]//4, a-g//2, h//1, A-Z//4, Aa-Zz//4, Aaa-Zzz//4, Aaaa-Zzzz//4, Aaaaa-Eeeee//4 , Cardoso, Luís, ?-1762, C.O. , Oficina Silviana , Lisboa : na Regia Officina Sylviana, e da Academia Real , 1747-1751 
    Notas Gerais: 
    Foram publicados apenas estes dois Tomos, até à letra C 
    Nota Relativa a índices, Resumos de Autor e Referências  Externas:Barbosa Machado 3, 77 , Inocêncio 5, 278-279 , Monteverde 1094 
  3. Principios de Geographia Mathematica, Vidal, Adriano Augusto De Pina, 1841-1919 , Lisboa : Typographia da Academia Real das Sciencias , 1871 
  4. Leçons élémentaires d´astronomie geométrique et physique, Caille, M. l' Abbé De La, 1713-1762 , nouvelle édition , Paris : Chez H. L. Guerin & L. F. Delatour , 1764 
  5. Notice sur les Systèmes de MontagnesBeaumont, L. Èlie de , Tomo I: 528 págs., Tomo II: 529 a 1068 págs., Tomo III: 1069 a 1543 págs. , Paris : Libraire Chez P. Bertrand , 1852 
  6. Atlas Histórico da Guerra do Paraguay [Material cartográfico], Orientador científico: Jourdan, E. C., 1º Tenente , Rio de Janeiro: Publicado na Lithographia de Eduardo Rensburg , 1871 

c)Materiais de Geografia

63  A) Sextante - Instrumento usado na navegação para medir a altura acima do horizonte dos astros como a Estrela Polar, ou o Sol. Desta medida deduz-se depois a latitude e a longitude do lugar.

64 Barómetro aneróide de Vidie - utilizado para medir a humidade presente na atmosfera. É constituído por um mecanismo de ponteiro, no interior de um mostrador em vidro, assente numa escala graduada que se move consoante as variações da humidade atmosférica. Este modelo inclui termómetro centígrado e termómetro Fahrenheit.

65  Esboço de uma Carta Topográfica, C. Muret.

66 Taqueómetro - Instrumento que é utilizado em levantamentos topográficos (para grandes escalas), com o qual se medem distâncias com o auxílio de uma estadia (instrumento semelhante à bússola utilizada em levantamentos topográficos) de precisão e se avaliam ângulos e relevos. Trata-se de um modelo com círculo horizontal graduado com dois nónios armados de lupa e nível de bolha de ar. No centro do círculo encontra-se uma declinatória (instrumento para avaliar a distância que vai do observador a um ponto afastado). O círculo vertical graduado possui igualmente dois nónios com lupa. A luneta move-se em torno do eixo horizontal. O Guyarl & Company [Fabricante]. Librairie Ferin [Casa editora]

67  Taqueómetro - Instrumento que é utilizado em levantamentos topográficos

68 Esfera armilar - Instrumento de Astronomia, utilizado sobretudo na navegação, que representa a esfera celeste segundo a conceção ptolomaica. Apresenta o equador, dois paralelos, um meridiano e a elíptica. No centro encontra-se uma rosa-dos-ventos apoiada num suporte fixo. A esfera armilar adquire um significado especial para Portugal pois é desde D. Manuel I (1469-1521) um símbolo nacional. Joduc (Produção)

69 Aparelho para medir a duração do dia natural (incompleto)

70 Planetário – Modelo Didático do planetário solar para exemplificar os movimentos dos planetas do sistema solar

71   Aparelho para simular o movimento orbital do Sol, Terra e Lua

72  Globo celeste

73  Planetário  - O sistema solar está envolvido por uma esfera de vidro onde se podem observar estrelas de diferentes cores (brancas, amarelas, vermelhas e castanhas). Provém da Ordem dos Espiritanos, através da Comissão Jurisdicional dos bens da Igreja, via Reitor da Universidade do Porto. É um exemplar de planetário anterior a 1915

74  Planetário - Permite projetar no espaço envolvente (sala da aula), aspetos da esfera celeste com as respetivas constelações, indicando igualmente as constelações do Zodíaco ao longo do ano e os fusos horários. A peça tem um motor elétrico que permite rotação.

75  Globo Celeste

76  Globo Terrestre

77  Globo Terrestre

78  Globo Terrestre – Globe Levasseur

79  Globe Terrestre – Globe Levasseur

80 Globo Celeste

81   Globo Terrestre

Sala de Geografia

82  Aparelho para simular o movimento orbital do Sol, Terra e Lua

83  Aparelho para simular o movimento orbital do Sol, Terra e Lua

Biblioteca Antiga

84 João Ninguém: Soldado da Grande Guerra - Impressões Humorísticas do C.E.P. Ferreira, Menezes
Lisboa : Livraria Portugal-Brazil , 1921

85  Corografia portugueza, e descriçam topografica do famoso reyno de Portugal, Costa, António Carvalho da, 1650-1715, 2ª ed Braga: Typ. de Domingos Gonçalves Gouveia , 1868

86 Atlas Missionário Português [Material cartográfico] Rego, A. Silva Co-autor: Santos, Eduardo dos Editor e Edição: 2ª ed. Lisboa: Junta de Investigações do Ultramar e Centro de Estudos Históricos Ultramarinos, 1964

87  Atlas Missionário Português [Material cartográfico]
Prefaciador: Rego, A. Silva Portugal. Missão para o Estudo da Missiologia Africana Lisboa: Junta de Investigações do Ultramar, 1962

88 Panorama da Geografia, Vol. I, Vol. II, Vol. III, Biblioteca Cosmos - Gigante, Lisboa : Edições Cosmos, 1953  

89 Atlas colonial português [Material cartográfico], Portugal. Comissão de Cartografia , Lisboa: Ministério das Colónias, 1914 

90 Cartografia e cartógrafos portugueses dos séculos XV e XVI (contribuição para um estudo completo) Vol. I, 389 págs.Vol. II, 453 págs. Cortesão, Armando, 1891-1977 Lisboa : Seara Nova, 1935

91   Atlas de Portugal Ultramarino e das grandes viagens portuguesas de Descobrimento e Expansão, Ministério das Colónias. Junta das Missões Geográficas e de Investigações Coloniais Lisboa: [s.n.], 1948

 

Exposição " Os Caminhos do Linho"

Inaugurada dia 10 de outubro esteve aberta ao público a Exposição "Os Caminhos do Linho", no Museu da Escola Sá de Miranda, até dia 31 de outubro. 
 

No dia 12 de dezembro, sexta feira,pelas 10.00 h, recebemos o escritor Richard Zimler, no Auditório da Escola Sá de Miranda




No Dia 15 de janeiro, recebemos o Conferencista Fernando Aldeia, que nos veio falar de Miguel Torga

Esta atividade realizou-se em parceria com a Junta de Freguesia de S. Vicente.

 

Exposição de Biologia e Ilustração Científica - 5 de fevereiro


 

 

No dia 5 de fevereiro, pelas 10H00, foi inaugurada a Exposição de Biologia e Ilustração Científica no Museu da Escola Sá de Miranda. A exposição conta com ilustrações de membros do Grupo do Risco e do Professor da nossa Escola, Manuel Vieira, e estará aberta ao público até ao dia 5 de março de 2015.

Esta exposição contempla duas vertentes ligadas entre si, a biologia e a ilustração científica. Nesta exposição, poderão ser observados vários animais como aves, espécies marítimas, insetos, entre outros e apreciados vários posters com ilustrações rigorosas e científicas desses mesmos animais. Natureza Desenhada foi o título que os ilustradores, que amavelmente cederam os seus desenhos, deram à colectânea de posters patente no museu.

Ilustrações científicas são imagens que têm o objetivo de comunicar ciência, auxiliando ou substituindo as palavras escritas e orais. São aplicadas nas mais variadas situações, desde publicações científicas impressas e online, publicações para educação ambiental, websites, exposições de museu, livros escolares, apresentações, selos de correio e tantas outras em que há necessidade de transmitir conhecimentos científicos.

As ilustrações de peixes, de morcegos, de aves, de animais do zoológico e de plantas foram produzidas por grandes nomes nacionais da ilustração científica, entre os quais se destacam Pedro Salgado, Filipe Martinho, Catarina França e César Figueiredo, natural de Braga, entre outros.

Os ilustradores César Figueiredo e Delfim Ruas estiveram presentes na abertura da exposição para falarem aos alunos sobre esta arte de ilustrar.

Semana da Leitura

Programação Semana da Leitura 2015.pdf (1079023)

Cartaz Semana da Leitura - Palavras do Mundo.pdf (1314091)

Cartaz Semana da Leitura

Cartaz Semana da Leitura

Semana da Leitura 2015 "Palavras do Mundo" de 16 a 20 de março


Cartaz - Ilustradora Ângela Vieira

Cartaz - Ilustradora Ângela Vieira

Encontro com a Ilustradora Ângela Vieira

No dia 18 de março, no âmbito da Semana da leitura, pelas 10.00h, esteve presente a Ilustradora Ângela Vieira, no Auditório da Escola .

 

 

Tambombo - Projeto do nosso Agrupamento

A Exposição dos 15 anos do Tambombo será aberta às 11h00 do dia 17 de março.
Esta exposição estará patente no Auditório da Escola Sá de Miranda de 17 de março a 17 de abril.
Ao longo de 15 anos de existência mais de um milhar de alunos frequentaram a Orquestra de Percussão Tambombo.
O mentor da Exposição, o colega José Maria Rego, agradece a todos que ajudaram a manter vivo este projeto e a Cultura Tradicional Portuguesa.

Biblioteca Humana


 

No dia 23 de abril, dia Mundial do Livro, recebemos na nossa Biblioteca  a " Biblioteca Humana" em que se falou,através dos livros, de doenças cancerígenas. A Biblioteca Humana é um  conceito que surgiu há já alguns anos nos paises nórdicos como uma estratégia inovadora de combater os preconceitos. Os criadores da ideia consideravam que o preconceito existe por falta de conhecimento sobre a realidade, sendo que este decorre, por sua vez, por falta de oportunidades de contactar com a mesma, na primeira pessoa.

Assim, lançaram esta ideia, em festivais da juventude, onde diferentes pessoas representativas de grupos tipicamente alvo de preconceitos andavam, devidamente identificadas pelo meio do público, disponibilizando-se para conversar com que assim o entendesse.
Atualmente a ideia foi adotada por diversos países e adaptada a vários contextos.A mensagem é levada aos jovens através de "vários "livros" representativos de várias abordagens ao cancro (médico, investigador, sobrevivente, voluntário...)
 
Como funciona
Na Biblioteca da escola terão um espaço pré-definido onde se sentarão ficando à espera de quem vos queira "ler". Serão grupos pequenos de 5/6 alunos.
 
Quando o grupo se senta convosco devem fazer uma primeira apresentação.
 
O primeiro momento pretende-se curto, dizem o nome, porque são voluntárias e alguns dados que considerem pertinentes (por exemplo há quanto tempo são voluntárias e onde desempenham funções),
A partir daí os alunos devem fazer questões, num diálogo que se pretende enriquecedor.
Ao final de cerca de 10/15 minutos os grupos rodam e todo o processo se repete.
À partida, os grupos que já vêm de outros livros podem ter mais informação ou perguntas decorrentes do que ouviram antes...
Encarem a experiência como uma conversa mas, ao mesmo tempo, não se esqueçam que quem escolhe o "capítulo" a ser lido são os alunos. Deem apenas a informação que eles vos estão a pedir.
Claro está que se os grupos estiverem mais caladinhos podem também provocar a conversa com alguma pergunta ou informação extra.

 

Tiago Patrício

 

No dia 23 de abril, dia Mundial do Livro, tivemos a presença do escritor Tiago Patrício, na nossa Biblioteca.

António Fonseca “Conversa” Os Lusíadas

António Fonseca
O ator, António Fonseca, esteve no teatro do Agrupamento de Escolas Sá de Miranda, no dia 20 de maio, com uma “conversa”  extraordinária de parte de alguns dos Cantos de ”Os Lusíadas”, privilegiando as reflexões do Poeta que fazem parte do programa do 12º ano.
Esta atuação proporcionou um momento inolvidável a todos os alunos do 12º ano, que tiveram o privilégio de assistir a uma abordagem da obra, diferente da que fizeram nas aulas de Português. 
António Fonseca disse, de memória, algumas estâncias de “Os Lusíadas”, explicando passagens, relatando momentos e dramatizando os seus personagens, tornando, talvez, apetecível para os alunos a leitura de uma obra grandiosa que faz parte do imaginário colectivo português. 
Foram 80 minutos de deslumbrado silêncio que levaram os alunos a repensar “Os Lusíadas “ de uma outra forma. Mais quereriam ouvir, mas como disse António Fonseca, “Agora, só no Theatro Circo”.

 

© 2012 Todos os direitos reservados.

Crie o seu site grátisWebnode